terça-feira, 18 de outubro de 2011

É só o tempo de acabar de cortar a cebola

Cantarei para você aquela velha canção, ao pé do seu ouvido. Te darei um forte e gostoso abraço, aquele que você adora. Vou rir das suas piadas mais sem graça. Depois disso, arrumarei  todas as suas roupas numa mala. Dessas bem grandes. Colocarei sua mala defronte o meu portão. E vou te dar adeus...

Isso vai doer mais em mim do que em você. Você sempre foi mais forte, mais maduro. Minha falta você não há de sentir. Tomarei um vinho safra ruim em sua homenagem, vou chorar. Vou deixar cair uma lágrima de cada vez. Depois que o vinho acabar vou me encharcar de whisky, conhaque, tequila, cachaça... Vou dar um sumiço. Viajarei pelos nossos momentos. No início não vai ser fácil. Nunca é fácil perder uma vida. Se ver sem nada, apesar de ter tudo.

Eu to te dando  liberdade. To me enfiando numa nova vida. A MINHA. Vida essa que eu nunca tive, só existia você e você e você e você... Eu vou renascer das cinzas, eu vou arrebentar a camisa de força que me sufoca. Isso não vai demorar. Depois que você ver que eu fui muito pra sua vida medíocre, você vai me telefonar. E eu vou te dizer um não bem alto, de dentro das minha entranhas. Eu vou rir pro dentro e vou te desejar as piores coisas desse mundo.

Você vai me ver renovada. Serena, avassaladora. E você será um derrotado, um merda. E eu estarei triunfando pelos séculos sem fim. Você vai invejar a minha felicidade, igual um dia eu invejei a sua. Aí sim eu vou ser plenamente feliz. E você meu caro, o homem mais triste do mundo...

Eu sou bem humana, e por isso não minto frente o que sinto. Se alguém se sentir ofendido, só lamento. Lamento por você não ter hombridade de deixar transparecer os seus sentimentos. Não seja hipócrita, se jogue nas palavras. Essa é a melhor e mais antiga forma de terapia do mundo... Se jogue, só isso!

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Só o amor é luz

Se eu quiser continuar com minha bagunça, não se preocupe eu estou bem lá. Só não quero que você continue me cobrando. Simplesmente eu não vou melhorar. Eu não quero melhorar, estou bem lá! Bem juntinho das minhas tralhas me sinto completa.

Não preciso de sugestões para melhorar a minha vida. A vida é minha, e só eu sei o que se passa dentro de mim. Nas minhas crises existênciais, o meu melhor amigo é um vinho safra ruim. Só eu sei o que é sofrer. Mesmo sabendo que outros seres terrestres sofrem mais do que eu...

Se você considera os meus choros sem motivos. O problema é seu. Dane-se, quem chora sou eu. E  eu entendo o meu choro. Eu sempre fui privada de muita coisa, quero ver quando tiver liberdade. Eu vou voar bem alto pelo infinito. E vou achar tudo belo, pois quando não se tem nada, a liberdade por si só  já é uma belezura.

Os meu gritos calados, os meu choros espremidos, vão vir a tona. Creio que você não vai gostar, mais eu vou. Eu vou por que sempre quis isso. Eu sei que um dia vou ter, ou não vou ter o meu desejo realizado. Mais os meus pensamentos vão sempre querer a liberdade.

Eu vou sair dessa jaula, arrebentar essas correntes e você só vai assistir. Se for uma desgraça você vai chorar. Eu também vou. Sei que nunca fui o que você sempre quis. Mas creio que sou o que você sempre mereceu. Eu sou como você sempre quis que eu fosse, mais um dia isso vai mudar. Eu sou uma farsa. Apesar de não gostar de mentiras. Sou uma mentira. Sou o mais perfeito paradoxo da natureza.

Eu estou com dedos cruzados pra que esse dia chegue. Ele vai chegar. Só te peço para que reze sempre. Reze aquele rosário que você medita todos os dias e que você me ensinou direitinho. Reza para os seus santos preferidos. Reze pra quem você quiser. Reze para você, para você aguentar. Ver a minha partida exacerbada de glamour. E eu já estarei longe. Mais o meu pensamento viverá em você. Eu te amo, mais também amo a liberdade. E essa liberdade fala mais alto dentro de mim... Eu te amo, só o amor é luz, só liberdade vai me dar paz... Assim eu espero

domingo, 16 de outubro de 2011

É, chegou para dar

É só você falar que me ama...
E eu vou te encontrar
Sem medo, sem perguntas e sem pudor
Nada vai evitar esse nosso amor

Eu queria ser como um passarinho, ser livre
Queria nunca saber o que é gaiola
Vem e me tira desse presídio
É só você falar que me ama

Sem dúvidas, sem documento
Vou correr pros teus braços
Quero sentir o seu cheiro
Quero te ter

Vamos correr pelos campos do sul
Palestina, Brasília.... quem sabe no Japão
Eu vou a qualquer lugar ao seu lado
Eu te amo

Agora só falta você
Só falta você falar que me ama
Fala logo, eu sou apressada
Não adie essa frase
Fala logo. Eu já estou indo ao seu encontro...

sábado, 15 de outubro de 2011

Semeadores de mentes

"Vá, juventude lutar pela infância que espera você. Vá afugente as trevas com a luz rutilante do sol do saber. Vá resoluta só vence quem luta, quem ama e quem crê. Vá normalista que a pátria acredita e confia em você!" Esse trecho é do hino da normalista. Hino esse que eu cantava nas ocasiões especias do Instituto de Educação Eber Teixeira de Figueiredo, onde estudei por quatro anos fazendo curso normal. O dia de hoje a meu ver é o da mais bela e digna profissão que existe no mundo. A de ser professor. Ser professor é muito mais do que ensinar. É romper barreiras impostas pelos baixíssimos salários. É nadar contra a corrente do capitalismo que só visa o ter. É ser amigo, confidente dos seus alunos. É dizer sim quando o ideal é o não. É doação. Ser professor é uma missão linda. Como fui, sou e sempre serei normalista presenciei a luta desses bravos homens e mulheres desse Brasil. Graças a Deus sempre tive educadores que entravam na sala de aula com um sorriso quilométrico no rosto. Lembro-me das ligações que recebi dos meu professores quando passei no vestibular. Dos presentes que eu dava para as minhas tias do prezinho. Dos meu mestres lá do Santa Rita. E é claro dos meus professores do normal. Nunca vi tanta gente aguerrida que sempre nos diziam: " O que nos mantém de pé é o amor". Pois bem, parabéns a todos vocês meus amores. Eu amo muito vocês. Se cheguei até aqui foi por que vocês deram a vida por mim. Estou sem palavras, só tenho a agradecer.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

O que eu quero é sambar...

Acabo de ler no facebook de um conhecido a seguinte frase: "Lapa hoje?" Isso me deu uma inveja tremenda. Primeiro porque amo o Rio de Janeiro e depois invejo com todas as minhas forças os cariocas. Por mais perigoso, caro e turbulento, o rio me fascina. Ele é e sempre será lindo. Sempre critiquei o samba. Hoje a coisa que mais escuto é samba. Sei que estou pagando língua, graças a Deus. Lembro-me quando ia com a minha tia para os ensaios no sambódromo em janeiro e odiava. Quase me mato por isso. Eu amo samba, amo sambar. Só não tenho gingado nenhum... Folheando umas revistas velhas, encontrei uma entrevista com o Jamelão da Mangueira. Adorei a entrevista. Ele diz que não existe mais carnaval e que axé não é carnaval. Afirma que a mangueira é o amor da sua vida e que isso não vai mudar. A parte da entrevista que mais gosto é quando ele diz: " Quem bebe morre e quem não bebe morre também. Até hoje gosto de tomar um goró. Água enferruja. Com tanta chuva lá fora, por que tem que cair água aqui  dentro? Aparelho velho é movido a álcool. Pra fazer samba é preciso olhar os que são feitos. Tem que viver no meio de quem faz, entrar nesse ambiente e aprender como aplicar as palavras, descrever um evento. Tem de estar a par do assunto para escrever e tirar proveito daquilo. Não é bicho de sete cabeças, mas é uma coisa que precisa ter coração e alma."
Revista Quem, 10/02/2006
Adoro a Mangueira e já tive a oportunidade e sorte de presenciar um ensaio com a presença do Jamelão. Nunca fui na quadra de samba dessa escola querida por mim( não entendo até hoje por que a escolhi ) minha mãe disse que lá é ótimo. Eu quero muito ser adotada pelo Rio algum dia nessa minha vida... Quero ir pro subúrbio sambar, tomar banho de mangueira e me encharcar de cerveja... Oh sonho.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

O debuxo e o colorido

Vá, doce jovem
Mostre ao mundo pra que você veio
Rasque essa tua falsa pele
Vista-se com uma nova... Vista-se com a verdade

Grite, grite! Não se cale frente aos desafios
Se continuares calado, quem te ouvirá?
Saia da monotonia, pinte o seu universo com uma nova cor
Se jogue no espaço
Esqueça o bom senso, ela não presta

Se quiser, me de a mão
Vamos dominar esse cenário de dementes que se chama BRASIL
Vamos esquecer da decência que só nos atrapalha
Depois disso não teremos mais vergonha de nada

Vamos ser feliz, vamos acabar com a censura
É só você me dar a mão
Eu não tenho vergonha, eu não tenho juízo
Vem comigo. De corpo e alma
Vem, não demore...
Vamos rir, vamos chorar, vamos revolucionar...

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Chico que tanto amo !


Vence na Vida quem diz Sim

Chico Buarque

Vence na vida quem diz sim
Vence na vida quem diz sim
Se te dói o corpo, diz que sim
Torcem mais um pouco, diz que sim
Se te dão um soco, diz que sim
Se te deixam louco, diz que sim
Se te tratam no chicote, babam no cangote
Baixa o rosto e aprende o mote, olha bem pra mim
Vence na vida quem diz sim
Vence na vida quem diz sim
Se te mandam flores, diz que sim
Se te dizem horrores, diz que sim
Mandam pra cozinha, diz que sim
Chamam pra caminha, diz que sim
Se te chamam vagabunda, montam na cacunda
Se te largam moribunda olha bem pra mim
Vence na vida quem diz sim
Vence na vida quem diz sim
Se te erguem a taça, diz que sim
Se te xingam a raça, diz que sim
Se te chupam a alma, diz que sim
Se te pedem calma, diz que sim
Se já estás virando um caco, vives num buraco
E se é do balacobaco olha bem pra mim
Vence na vida quem diz sim

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Espaço vazio

Hoje olhando para o fogão à lenha daqui de casa, me lembrei de você. Tudo parecia igual. Só você que não estava aqui. As cascas de laranja estão penduradas no mesmo lugar. A vasilha está de molho na água para retirar o resto de angu que sempre resta no fundo. A colher de pau está perto do fogão. Tudo, tudo, tudo está do jeito que você deixou. Deu até para imaginar como estaria aqui em casa se você não tivesse partido. Tenho certeza que todos estariam aqui, para comemorar seu aniversário. Isso veio na minha cabeça hoje por quê o ontem foi um dia muito atribulado.
Me perdoe por não ter lembrado de ti ontem. Por um instante fechei meus olhos e imaginei como teria sido o dia de ontem se você tivesse aqui. Não só o ontem, mais todos os dias que passei contigo. Me vi caminhando na feira com você. Vi a senhora arrancando os brincos de pressão que eu insistia em por nas suas orelhas. Consegui sentir o gosto do seu pastel de carne, da sua pizza e do seu arroz. A única coisa que você deixou foi saudade... O mês de outubro nunca mais foi o mesmo depois da sua partida. Maio foi um mês ruim. Já faz sete anos que não tenho mais o seu sorriso, o seu afago... Isso me dá um aperto no coração.   O choro vem sem pedidos, sem nenhum querer.
 Aos oitenta e um você se foi... Me perguntava se a senhora não poderia ir aos cem, duzentos. Agora entendo a sua partida. Aqui em casa está muito difícil. A senhora não ia aguentar ver o fim dos Araújo. Ainda lembro daquela semana. Digamos que foi a semana mais agonizante da minha vida. Lembro-me do desespero da minha mãe e das minhas rezas desesperadas implorando a Deus para não te deixar ir. Parece que foi ontem... Sempre vai parecer. As coisas aqui mudaram bastante...Eu estou entrando nos trilhos. Minha mãe continua a mesma... A sua Inês permanece igual. O Léo está cada dia mais bêbado e dissimulado. Ele separou ano passado mais voltou. Também te deu mais um netinho. Meu tio nenzé permanece o mesmo, Alan teve filho. Tia Edemir está aí ao seu lado contando piada. Leco teve uma menininha linda, Melissa ela se chama. Tio Paulo César está perdido no mundo. A Preta, Tereza e Dalva e o Domingos se foram. Também devem estar aí. Tio Zé Francisco resolveu aparecer. Eu até já fui na casa dele. Jefinho é engenheiro mecânico e Luciana ainda anda contando mentiras. Tia Gracinha ainda procura pelo meu tio... Até hoje. Luiz Carlos mora conosco. Carla e Tatiana abandonaram ele sem nenhum pudor. Meu tio Luiz Antônio anda mais pra lá do que pra cá.... Luana e Ludmila estão se ajeitando.
Tia Lourdinha também está bem ! O resto continua o mesmo. A Tônio Borges perdeu bastante gente mas, teve alegrias: nasceu Gustavo. Por último, eu como já disse anteriormente estou bem. Faço faculdade e sou professora. Pois bem, me despeço com um aperto e um vazio no peito. Uma saudade enorme. Ai vovó tanta falta... Tanta saudade, tanta cólera invade o meu ser... Ao mesmo tempo agradeço a Deus por não ter prolongado o seu sofrimento. Deus sabe tudo, ele escreve certo por linhas tortas. Beijo, bença !

sábado, 8 de outubro de 2011

O que não faz sentido.

Hoje quando fui comprar um biquíni, me deparei com um monte de mulheres enfurecidas jogando peças e mais peças do mesmo para cima. Era promoção e nós mulheres não resistimos a uma. Nada de anormal nisso. Passado algum tempo, eu já  cansada de procurar por um modelo que pudesse me satisfazer; ouvi várias mulheres comentando que já estavam fazendo dieta e tomando remédios pois o verão está próximo. Parei e pensei por um segundo. Por qual motivo essas mulheres estão tomando remédios para emagrecer? Por qual motivo essas mulheres estão malhando feito loucas? Por qual motivo essas mulheres estão buscando um bronzeado rápido? Por qual motivo essas mulheres estão arriscando a própria saúde? Por qual motivo essas mulheres não malham, não fazem reeducação alimentar( o que é bem diferente de dieta) todos os meses do ano?  Por qual motivo eu não estou preocupada em dieta mesmo estando acima do peso? Por qual motivo eu não estou tomando remédio e nem  malhando de forma exacerbada? Por qual motivo eu não saí triste da loja por não ter encontrado um modelo de biquíni para mim? E por último... Por qual motivo eu não me senti uma alienígena frente a isso?
  Creio que a resposta é que eu não quero pertencer a uma sociedade que nos vê como objeto. Uma sociedade que está preocupada com o "ter" do que com o "ser". Que só aceita as gostosas, peitudas, ricas, as de cabelo liso, as brancas... Quem foi que disse que precisamos ter um bumbum durinho e um seio farto para sermos bonitas? Por quê só a magra e a de cabelo liso é bela? Contrariando o poeta beleza não é fundamental. Não é preciso ser bela, ser magra, ser branca, ter o cabelo liso pra ser uma boa pessoa. Para ser gentil, amável, companheira, sincera, amiga. Costumo dizer que não é fácil ser feminista. Não é fácil nadar contra a corrente e acreditar em uma sociedade menos seletiva e menos preconceituosa. Geralmente o termo feminista vem associado a mulheres feias, tristes, mal amadas, mal vividas... Não, a maioria de nós são mulheres determinadas, inteligentes, belas e muito bem amadas.
Mulheres que não aceitam ser tachadas como simples "reprodutoras". Não somos as Ámélias da canção. Somos livres, estamos rompendo o padrão, estamos vivendo da forma que queremos viver. Nós podemos tudo, nós podemos mais. Viva a sociedade plural. Viva a cada um que luta por isso !

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Bumbo, violino, pandeiro, cuíca, trombone, ganzá, guitarra e violão...

Vamos cantar comigo meu bem, aquela musica que só a gente conhece.
Vamos comer comigo meu bem, aquela comida que só a gente conhece. 
Me ajuda a conhecer meu bem, o ser que só você conhece.
Me pegue no colo, me alimenta !
Serei grata a ti, só a ti !
Não se esqueça de me abraçar. 
De me dar aquele abraço gostoso que vem sem pedidos.

Eu sou como as ondas do mar... Posso me desfazer facilmente
Não perca tempo, vem. Já te espero a anos
Venha saciar essa minha louca vontade dos teus abraços.
Quero te sentir, antes tarde do que nunca.
Eu preciso de você
Sei que também precisa de mim...
Contigo serei um instante mais que eterno.
Sem ti serei apenas deserto...

Ode à frustração !

Domingo na casa da avó sempre tem almoço divino. Junte a divindade com excesso e uma pessoa gulosa. Não, simplesmente não dá certo essa singela união. Depois disso tudo, vá para a rua dizendo que só vai tomar uma garrafa de cerveja e no final tome duas, três, quatro... Sim, essa junção não é lá das melhores. Principalmente porquê no auge dos seus pendores etílicos; debaixo de um coqueiro você acredita que está nas Bahamas. Depois de acreditar nisso você grita para seu fiel amigo:  " Vamos ser capitalistas baby, vamos aproveitar nosso momento nas Bahamas. Vamos chamar o garçom e pedir o drinque mais caro do planeta. Vamos destruir Marx e todo seu socialismo medíocre." (gostaria de deixar bem claro que eu só falei isso pois não estava com minhas faculdades mentais certas).
 Depois de um sono merecido me deparo com a segunda feira. Digamos que a meu ver a segunda feira é igual o primeiro dia do ano. É o dia do desafio, da promessa, de mentir para si mesmo. Nunca foi um problema para mim admitir que amo loucamente comer. Depois da preguiça digamos que esse é o meu pecado predileto e mais praticado. É um momento único, ímpar, sublime... É ali que extravaso toda a minha raiva, minha cabeça. Eu me jogo ! E no início da semana é sempre difícil. Todos os domingos eu faço a promessa da segunda feira. Promessa essa que nem dura até a outra segunda. A única coisa que eu nunca fui capaz de admitir é que esse louco e desesperado amor está me trazendo prejuízos. Com meus dezenove anos desenvolvi um grave quadro de gastrite sem falar no meu sobrepeso. Tenho ciúmes de ver outra pessoa comendo o mesmo que eu. Penso que aquele alimento poderia ser meu e está ali, bem na minha frente e na boca de outro alguém. Isso não me deixa orgulhosa. Muito pelo contrário. Eu amo de forma exacerbada algo que nada mais é do que minha manutenção vital.
Parece ironia do destino. Faço uma faculdade onde se é aprendido todo o poder dos alimentos. A única coisa que desejo é que um dia o alimento deixe de ser um desabafo, ternura e um exagero de tesão e passe a ser simplesmente alimento. E salve a segunda feira. Sem ela nem sei o que seria de mim e de todos os frustados do mundo.

Não, eu não quero! Não, eu não preciso! Sim eu quero, sim eu preciso !

Eu não quero saber a sua opinião, se eu quiser eu vou te procurar para saber...
Eu não quero saber sobre o seu gosto, se eu quiser eu te procuro para saber...
Eu não quero saber da sua vida, se eu quiser eu te pergunto pra saber...
Eu não preciso da sua ajuda, se um dia eu precisar eu vou te pedir...
Eu não quero saber quais bocas a sua toca, eu já tive todos os seu beijos e todo o seu amor...
Eu não quero que você tenha pena de mim, eu não sou galinha...
Eu não preciso dos seus conselhos, você nunca se preocupou eu me aconselhar antes...
Eu não preciso dos seus abraços, eu encontro isso em pessoas bem melhores que você...
                     ORA BOLAS, NÃO PRECISO DE VOCÊ, EU NÃO QUERO MAIS VOCÊ !
O que eu quero é conhecer e desvendar o mundo. Principalmente o meu que teima em me deixar cada dia mais louca. Eu quero me sentir completa mesmo estando só e tomando um vinho safra ruim. Eu preciso compreender que o mundo não gira ao meu redor e que você nunca foi e nunca será o meu mundo. Eu quero beijos ardentes, poses calientes  e olhar dissimulado. Eu preciso sair dessa casca que só me atrapalha. Eu quero voar, o mais alto possível. Eu quero me doar, quero ser!  Pois eu sou o somente eu  e você só fez parte da minha vida. Você passou, você me deu voz e depois me calou. Me deu abrigo e me desabrigou. Me amou e não se sacrificou. Eu só quero ser eu e ver você caminhando nesse imenso cenário de dementes. Eu só quero poder sorrir e te ver também sorrindo. Não quero falsidade, não quero piedade, quero sim maturidade. Maturidade essa que nunca existiu entre nós... Sim, eu sei que eu posso, eu sei como fazer. Um dia sairei da inércia. Esse dia já vai chegar. Eu vou ser mais eu e você mais você. Eu só quero ser feliz, deixar vir a tona essa minha essência, essa coisa que me dá tanto martírio, tanta cólera, tanta tristeza. Esse dia vai chegar e você vai ver. Do seu camarote verá o meu triunfo. Prometo não desdenhar, prometo não te querer. Pois eu serei muito mais e você será também. Vamos dar as mãos, vamos lá. Vamos dominar o mundo, vamos revolucionar. Não você, você é muito pouco e pequeno para tanto. Quem sabe um outro alguém. Sim, eu devo merecer...

*Não reparem na concordância, apenas na carga de emoção que invadiu o meu ser nesse momento!