terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Ontem

Como sinto saudade quando as minhas preocupações eram qual carne ia ser servida no almoço, que presente eu ganharia no meu aniversário e no natal. Que saudade quando o catolicismo era a minha verdade e eu acreditava nessa verdade e ela iria me salvar. Que saudade de não saber o que é ressaca, de não saber o que é ter um amor e não ser amada.  Esse mundo dos adultos é algo muito chato. Não se pode brincar, não se pode imaginar, não se pode viver. A liberdade nos é abafada. Que coisa mais chata. Hoje eu estava olhando para uma criança e vi que será uma pena quando ela crescer. Eu quero voltar a ser criança. Quero andar a cavalo em Rosal, comer tamarindo no pé em Apiacá, sambar no sambódromo sem estar bêbada... Ah, eu quero largar tudo que me aconteceu até hoje. Quero ser a menininha inocente e simples. Todavia, é muito bom conhecer outras verdades, amar e não ser amada e beber e sambar. Agora já nem sei. Paradoxo pouco é bobagem !

Nenhum comentário:

Postar um comentário